Botões

O trabalho infantil sob o olhar dos estudantes do 6º Ano B

Os estudantes assistiram o filme "Crianças Invisíveis" 2005 - Itália, diversos diretores, durante as aulas de História. Após análise e discussão dos episódios das histórias de Bilú e João, as crianças do Brasil e Song e a gatinha e crianças da China, desenvolveram produções de textos narrativos sobre o tema "O trabalho infantil no Brasil e no Mundo". Em seguida desenvolveram produções onde expõem suas ideias, suas análises, reflexões e opiniões sobre o tema. As atividades de leitura, debate e escrita possibilitaram aos estudantes expressarem-se sobre as questões sociais.








O trabalho infantil

O trabalho infantil é contra lei e é ruim. Muitas crianças precisam trabalhar
para conseguir se alimentar e seus pais trabalham junto com elas de catar latas.
Essas crianças trabalham porque não há outro jeito de se alimentar e
muitas vezes até passam de fome.
Outras vendem balas nos faróis e muitas pegam o dinheiro para comprar drogas.
Hoje em dia, muitas fogem de casa para poderem fazer o que quiser porque em casa elas não podem beber, fumar e usar drogas.
O vício começa com uns oferecendo droga para os outros, eles aceitam e ficam dependentes.
Beatriz - 6º Ano B



O trabalho infantil no Brasil e no Mundo

O trabalho infantil é realizado por crianças de famílias que em 99,8% dos casos, tem o salário muito baixo no final do mês, e então colocam as crianças para trabalhar, a fim de ajudar na renda no fim do mês, no caso do filme Bilú e João, feito no Brasil, a história é infelizmente baseada em fatos reais, e muitas dessas crianças se sentem obrigadas a realizar o serviço de adultos, como se não bastasse, não recebem nem a metade de um salário mínimo, isto é semelhante ao período escravocrata, porém com crianças.
Há lugares no Brasil e no mundo, em que as crianças viram “escravas” de senhores, que usam as mesmas para vender coisas na rua, e não bastando, as crianças são maltratadas e as vezes passam até fome.
Aluno: Matheus Oliveira – 6º Ano B






Um comentário:

Anônimo disse...

vc e um cusão